Medidas essenciais na preparação para o swinging

Medidas essenciais na preparação para o swinging

As pessoas querem muitas coisas na vida. Uma grande casa, um carro “forte”, preferivelmente uma garragem espaçosa também, um emprego bem pago, amigos, conforto, equilíbrio e um aspecto físico que não assuste ninguém (isso é válido apenas para os homens, pois as mulheres não se contentam com pouco... elas querem brilhar mais do que TODOS).

Entre as aspirações existenciais há também as aspirações relativas ao sexo. O primeiro requisito na lista da maioria das pessoas tem a ver com a quantidade e qualidade. Deve haver sexo e deve ser bom. Sobre isso há um acordo unânime. O que segue depois, depende de cada pessoa.

No oceano de possibilidades infinitas há também a de um estilo que tem a ver com a troca de parceiros, com “compartilhar” o prazer com mais pessoas. Esta é a versão pela qual optam as pessoas incapazes de viver sem ser livres (não gostam da monogamia, também não gostam da infidelidade e as convenções matam o seu entusiasmo).

Mas além dos “profissionais” há também os não inciados que queriam seguir o seu exemplo, mas não sabem como começar. Todavia, trata-se de um passo crucial, não dos detalhes de uma viagem no fim-de-semana. Não é exactamente simples estar no lugar deles.

Se também sonha acordado com episódios selvagens de amor com a própria metade ao lado de outros convidados ou convidadas, significa que chegou a hora de escarecer alguns aspectos.

A decisão de passar do sonho à acção não deve ocorrer de hoje para amanhã, pois vai afectar permanentemente o seu futuro, quer que se trate de uma relação passageira (quando há possibilidade de “passar aos factos” mais rapidamente do que imaginava), quer que tenha orgulhosamente uma relação duradoura (quando há o risco de surpresas muito mais desagradáveis do que a mosca na sopa ao restaurante).

Por que é preciso ter um determinado período de tempo (e padrão) por pensar?

1.-Depois de passar por este caminho de aventuras íntimas, não é possível voltar para trás. É como a perda da virginidade. O “choque” não pode ser reduzido, nem que seja com um exército de psicólogos ambiciosos.

2.-Uma mudança tão radical como a transformação do quarto numa sala de brincadeiras por mais pessoas, pode destruir ou pelo contrário melhorar o relacionamento principal (em ambos os casos é muito difícil anticipar a probabilidade). Apesar do entusiasmo inerente, a cautela deve prevalecer e por mais chato que seja analisar tudo incialmente, quando se trata do prazer de saltar na cama com outras pessoas, a paciência continua a ser o elemento principal.

3.-O objectivo deste tipo de experiências tem a ver exclusivamente com o prazer e absolutamente não com a acumulação de traumas permanentes. Fazer as coisas com pressa tem, às vezes, este efeito.

Portanto, a primeira medida seria não se apressar (pois as oportunidades não desaparecem).

A segunda é estabelecer claramente a sua motivação. De onde é que vai o desejo de ir para o próximo “nível”? Do tédio e previsibilidade da vida a dois, da curiosidade relacionada à bissexualidade, ou da necessidade de materializar fantasias extravagantes...? Percebendo a origem do desejo, vai saber também para onde é que vai. Explicarmos a impulso das nossas próprias acções, inclusive das “carnais”, não reduz absolutamente do charme do objectivo em si. Muito pelo contrário, já que os orgasmos serão mais explosivos se soubermos exactamente por que é que queremos fazê-lo em grupo e não a dois ou por que é tão reconfortante para nós, como uma canção de ninar, essa ideia de partilhar o parceiro com várias outras pessoas.

Três: on longo dessa “exploração do terreno” continue comunicando com a outra pessoa. Não deve informá-la o dia antes da “estreia”, nem fazer-lhe alguma surpresa suja no seu aniversário (“em vez do buquê de flores trouxe os vizinhos de porta para nos fazer companhia no chuveiro”), ou usar a chantagem emocional e obter o acordo sob a pressão dos próprios desejos. O interesse deve ser manifestado pelos dois. Se não, “finalisar” nervosamente ou batendo a porta, vai tornar-se uma certeza.

A quarta medida é anticipar as vantagens e desvantagens. Idealizar os relacionamentos com vários parceiros pode ser tentador mas não auspicioso. Realizar uma lista pro e contra facilita muito a “missão” e afasta vários (potenciais) problemas. A esse nível, é bom que cada um confesse honestamente os seus medos e as suas expectativas, as sugestões ou desejos segredos.

Quando as visões são diferentes, aprece a negociação. Não é preciso ser advogado para apresentar o seu ponto de vista. Um pouco de sorte e alguns argumentos convincentes podem resolver a “disputa”. Claro que há menos dificuldades se a “alma gêmea” estiver de acordo consigo (ou faltar completamente do futuro “contexto”).

O que há depois do grande dia da decisão favorável? Não deve absolutamente passar logo à acção. A ordem natural implica que, depois da decisão, vem o quinto passo: a documentação. A internet é cheia de artigos e dicas sobre lugares onde se pratica o swinging, plataformas que facilitam a comunicação com outros participantes, histórias pessoais etc.

Recolher informações relevantes, conhecer os tipos de apaixonados desse tipo de amores especiais, familiarizar-se com os modelos de interacção (sexual ou não sexual), são os próximos passos a serem dados junto com os encontros destinados à socialização sobre este assunto, ou seja conversas e identificações dos potenciais parceiros.

O comportamento deve ser assumido, decente e autêntico. Sem abusos ou violações dos limites. A reputação nesse domínio vai estar colada a si por muito tempo, e se não quiser tornar-se no último proscrito do mundo dos swingers, então seria melhor tentar fazer boa figura (boa impressão) desde o início. Seria trágico obter uma reputação indesejável mesmo antes de começar.

Aprenda, ao mesmo tempo, a reagir positivamente às rejeições! Não necessariamente com sorrisos falsos e explosões de confetes, mas com uma atitude rezoável. A flexibilidade do grupo não significa falta de regras e preferências. Aceite as pessoas como são e não invada o universo delas.

Daqui até viver efectivamente o seu sonho, só falta um passo. Só um...

Boa sorte!

Fonte: www.interswingers.com