Passos pequenos e decisos para a conquistar!

Passos pequenos e decisos para a conquistar!

O que faz quando vê uma mulher que o atrai?

Evita olhar para ela ou aproxima-se dela?

Diz uma frase que memorizou da internet?

Fica aí a pensar minutos a fio, tentando inutilmente de intuir qual o melhor para uma conversa?

Como deveria agir?

Quando se trata de abordar uma mulher, o erro comum que a maioria dos homens fazem é pensar demais naquilo que deveriam fazer ou dizer “na abertura”. Eles acham que existe uma “frase mágica” que funciona a qualquer momento, em qualquer lugar, com qualquer pessoa... em qualquer situação. Mas a verdade está longe de ser assim. Paradoxalmente, o que você diz não tem de facto muita importância. Atirar a atenção de uma mulher realiza-se na maioria dos casos exclusivamente pela atitude que tiver quando se aproximar dela. A linguagem não-verbal, o olhar, o tom da voz, a auto-confiança, etc, tudo isso num conjunto cria aquele “elemento importante” que o vai separar ou não... da grande massa dos competidores profanos, insignificantes.

Já que este é um artículo breve e directo ao ponto, vamos começar directamente com uma série de “passos” pequenos e práticos que, se você seguir cuidadosamente, vai conseguir inciar com sucesso a maioria das interacções com as pessoas do sexo oposto.

 

1.-A ESPONTANEIDADE. Como pode ser espontâneo? Simples. Está a ver uma mulher que o atrai? Tem 5 segundos à disposição para ir para ela e abordá-la! Fazendo assim, não terá mais tempo para pensar naquilo que acontecer caso ela o recusar, para que na sua mente passem vários tipos de pensamentos negativos que são capazes de inibir a sua iniciativa. Lembre-se! Não existe uma frase aplicável a todas as situações desse tipo. Existe apenas aquele estado de graça que você pode transmitir... se quiser realmente fazê-lo!

 

2.-O SORRISO. Sorria! Essa é uma mensagem subliminal muito eficaz, que estabelece indirecta mais certamente na mente da potencial parceira que você é um tipo amigável e está se aproximando dela com boas intenções. Além disso, mostrar as palmas abertas são outro detalhe mímico que pode usar, pois sugere a falta de agressividade (as pessoas ficam muito mais tranquilas quando podem ver as palmas da pessoa que se está aproximando, devido a uma reminiscência instinctual com origens nos tempos antigos, quando o gesto usava-se para mostrar a falta de pedras ou outros obsectos que poderiam ser usados num eventual acto de agressão). É vital que o momento da entrada no espaço “de segurança” de uma pessoa seja percebido como um acto cordial, com boas-intenções e talvéz até mesmo íntimo. Não deve, de maneira alguma, apresentar uma expressão facial demasiado séria. Não quer, certamente, ser percebido como um “anormal”.

 

3.-A LINGUAGEM NÃO-VERBAL. Preste muita atenção para a linguagem não-verbal (gestos, mímica, atutude, etc) pois este é o aspecto mais percebido pelas interlocutoras (de forma inconsciente). Se abordar uma mulher de cabeça no chão, já a perdeu bem antes de dizer alguma palavra. Portanto, fique sempre recto, olhe sempre para frente, o peito ligeiramente por fora, os ombros um pouco para trás e o passa relaxado. Não exagere. Se não, vai ter o aspecto de um gajo cheio de esteróides que tenta ser “delicado”.

 

4.-MOVIMENTOS LENTOS. Quando se aproximar com a intenção de começar uma conversa, não faça movimentos bruscos ou “robôticos”. Analise com objectividade a sua roupa e não se engane com o facto de ter determinado aspecto, apenas porque é isso o que imagina. O espelho é um bom i “conselheiro”. Dê passos relaxados, com calma e alguma lenteza... de forma que possa parecer auto-confiante e natural.

 

5.-O CONTACTO VISUAL. Mantenha o contacto visual. Nunca seja você quem quebrar a ponte invisível para os olhos da pessoa que pretende mesmo conhecer. Se fizer isso, ela terá a sensação de que você não se sente confortável ou que as suas intenções não são realmente sinceras. Um contacto visual profundo, vai sugerir de forma indirecta (a nível mental) que tem carisma, que tem confiança na própria personalidade, e isso é exactamente o que a maioria das mulheres querem.

 

6.-O TOM DA VOZ. Não use um tom muito profundo quando abordar uma mulher. A imagem do indivíduo sem senso de humor, sóbrio e austero não é muito adequada (mesmo que a sociedade lhe tenha ensinado que esse tipo de atitude é bem-sucedida). Seria conveniente ter uma voz com inflexões engraçadas, acompanhada por um sorriso obrigatório. Seja aquele tipo de homem que sabe como entreter. Mas tenha cuidado... não se transforme num palhaço!

 

7.-NÃO ENTRE NA ÁREA DE CONFORTO DELA. A maioria dos “machos” ao abordarem uma mulher, consideram oportuno inclinar-se ligeiramente, num gesto de humildade nada inspirado... quase implorando pela misericórdia da mulher em prestar-lhe um pouco de atenção e considerando que através de uma expressão corporal desse tipo, vão imprimir um ar inofensivo e inocente para a sua acção. Pelo seu mérito, a mulher fica geralmente recta, adoptando um fascínio de certa forma enfeitiçado. De facto, esta é mesmo a sua maneira de defesa instinctual, procurando dissuadir qualquer tentativo de violação da própria proximidade. Além do mais, se o homem se inclinar demais, entrando na área de conforto da mulher com a qual pretende falar, ela vai involuntariamente inclinar-se um pouco para trás, aumentando ainda mais a distância comunicacional e deixando a impressão clara de um valor social superior que ela pretende manter, esmagando dessa forma, sem algum esforço, o ar “infalível” que qualquer pretendente queria sugerir.

O que fazer?

É preciso ter mais confiança na sua presença masculina. Manter-se recto, até inclinar-se um pouco por trás quando entrar no perímetro de uma desconhecida, de forma a transmitir algum desejo de manter a distância e de não ser tão familiar logo nos primeiros momentos, “obrigando” ela a inclinar-se ou mesmo a fazer um passo para frente para poder ouvi-lo. Fazendo assim, vai imprimir para a própria pessoa um nível de sugestão sensorial de maior valor e automaticamente, um interesse maior.

Já que agora sabe todos esses passos, é hora de:

 

A ABORDAGEM INDIRECTA.

O que significa essa abordagem indirecta?

Significa que você não mostra o seu interesse para com a pessoa abordada logo nos primeiros momentos da conversa, deixando a impressão de sentir atracção por ela por outros motivos do que o seu aspecto... (não é por nada, mas são demasiados os homens que fazem isso, e você precisa inventar algo “novo”).

Essencialmente, tudo o que precisa fazer é perguntar-lhe qual a opinião dela sobre algo.

É muito importante perceber que o papel desse movimento no metafórico tabuleiro de xadrez da seducçãp não é fazer com que determinada pessoa sinta atracção para si, mas exlusivamente de provocar a conversação.

Por isso, a “Abertura” deve ser extremamente curta (de um minuto, no máximo). Depois disso, pode passar para a próxima fase, onde através da improvisação relativa à situação em que estiver, vai continuar a conversa, levando-a habilmente para o que lhe interessa obter...

Há 5 coisas ESSENCIAIS, que deveria levar em conta quando decidir de abordar uma mulher usando o método indirecto:

1.-A PAUSA. É essencial captar a atenção antes de começar a usar as palavras de “Abertura”. Uma saudação muito amigável, expressa usando um tom “audível” e depois disso uma pequena pausa para obrigar a sua interlocutora a prestar para si o interesse devido, é a solução ideal. A pausa representa a componente-chave na equação da abordagem! Se ela não olhar para si, significa que você não falou suficientemente alto ou que não manifestou a “autoridade” necessária para esse tipo de abordagem, que que... não presta atenção, não está interessada. Em ambos os casos é preferível abandonar o “assalto”. As coisas podem acabar muito facilmente na área do ridículo ou embaraçoso, e isso não é nada bom para o orgulho próprio, instaurando também os germes dos precendentes desmobilizadores.

2.-A FALSA RESTRIÇÃO DE TEMPO. Quando ir falar com uma pessoa desconhecida, a primeira coisa que vai passar pela cabeça dela vai ser: “Quanto tempo vai passar este gajo junto a mim?”. Por isso, é ESSENCIAL que durante os primeiros 30 segundos da intervenção, diga num tom alegre, mas que inspire muita credibilidade: “Só posso ficar alguns segundos. Estou com os meus amigos...!”. Fazendo assim, vai eliminar um problema desconfortável para a mulher com a qual está a falar. Mas cuidado que a frase seja positiva, não negativa. A formulação positiva seria: “Só posso ficar alguns segundos, tenho de voltar para os meus amigos.”, e a negativa: “Vou estar aqui apenas um segundo, e depois não vou aborrecer-te mais!”. Ao falar a palavra “aborrecer” já apresentou uma possibilidade para ela... a que você é chato! É uma coisa totalmente diferente se no final usar a ideia de tédio num contexto inspirado: “Agora vou-me embora. Já te entediei o suficiente!”. Em 90% dos casos, vai receber uma negação (que certifica que você não a entediou), que é possível que se torne muito facilmente num motivo de prolongação da conversa... pelo menos por uma próxima vez. Esse é o momento ideal para pedir pelo seu número de telefone.

3.-O MOTIVO. Se a mulher não acreditar que a sua intenção representar realmente um desejo real e sincero, é possível que ela considere a sua iniciativa como um tentativo de começar a falar com ela exclusivamente por um hábito reflexo e quotidiano, que você faz sempre que tiver oportunidade, sem pensar e dar muita importância na qualidade das pessoas que abordadas dessa forma (o que provavelmente acontece bastante frequentemente com a própria pessoa também, não gostando muito disso). É por esta razão mesmo que é aconselhável ser mais natural, comportando-se exactamente como sente que deveria fazer em relação àquilo que a personalidade da mulher que quer conhecer lhe inspirar.

4.-ADAPTABILIDADE. Embora haja um número impressionante de mulheres que afirmam que o modelo ideal masculino é representado por uma pessoa educada, gentil, atenciosa e cortês, na realidade esse desejo é apenas um método de precaução, devido à incerteza imposta pela sua conformação física e o seu comportamento “inofensivo”. Elas querem simplismente ter certeza de que uma possível interacção com um homem vai desenvolver-se num terreno favorável para elas.

Mas a surpresa aparece quando ela tiver certeza de ter encontrado o homem que queria e de repente querer que ele deixe de ser tão boêmio e chato a nível de declarações, à espera que ele comece a fazer coisas mais “selvagens”. Pois de repente ela deixa de querer um gajo office, e quer um motociclista.

Essa síndrome não se deve a uma atitude mal compreendida das mulheres ou de um tipo complicado de pensar. Esta é estrictamente o resultado do facto que os homens mostraram sempre para as suas companheiras a ideia que eles fariam “qualquer coisa” para elas. E se eles são dispostos a fazer qualquer coisa... por que não se transformariam de um momento para outro naquilo que elas têm vontade de ver, sentir ou amar? Pois afinal elas têm razão. Não foram elas que pediram pela lua, pois não?

Então, para satisfazer tais necessidades, é preciso estar sempre pronto para jogar o papel que sentir que ela está pedindo de forma indirecta, consoante o estado em que ela estiver.

Uma mulher que for satisfeita desse ponto de vista e que pode declarar que não está aborrecida ao seu lado, você pode colocá-la na categoria: CONQUISTADAS.

5.-MANTER A CONVERSA. Não deve absolutamente considerar que os seus temas preferidos de conversa são também os mais agradáveis para ela! Não! A política, o desporto, os carros, os jogos, os negócios... são aspectos que as descendentes da Eva consideram “infantis” ou no máximo actividades a partir do qual podem eventualmente tirar proveito, mas absolutamente não são temas para perder tempo com elas nas conversas.

Faça constantemente com muito interesse perguntas que tenham a ver com o perfume que ela usa, com a roupa que ela escolheu, as jóias -sobretudo os brincos- que ela usa, as revistas que ela lê ou as dietas que costuma fazer “para manter um corpo tão atraente” (com isso vai também fazer um elógio completamente irresistível para ela). Ficará surpreendido com quanto ela vai querer falar nesses assuntos. Não seria ruim se de vez em quando você leria um pouco de revistas femininas. Seja informado com tudo o que significa moda, cosméticos, acessórios ou mesmo notícias da vida das celebridades.

Nunca interrompa ela quando estiver falando e não abandone a mímica que sugere que está efectivamente interessado nesses assuntos (mesmo quando sentir a sua cabeça explodir por tantas informações esúpidas). A certa altura, depois de ficar sem recursos ou ficar ela própria aborrecida com a essência da conversa, vai abandonar-se na sensualidade de uma troca de ideias que leve você para o... seu objectivo.

Quando tentar entrar na vida de uma mulher, repita sempre na sua mente que foram exclusivamente os homens quem ensinaram para as mulheres a ser mimadas e desinteressadas nos problemas reais. A culpa não é delas e devem ser tratadas como tal.

Boa sorte!