“Permitido” e “proibido” no diálogo com uma acompanhante

“Permitido” e “proibido” no diálogo com uma acompanhante

O lado positivo numa relação com uma acompanhante é que o homem está isento da obrigação de “aquecer” verbalmente a sua parceira através dos sonetos de Shakespeare ou elogios plásticos dirigidos à sua nudez perfeitamente esculpida.

Contudo, alguns dos clientes sentem-se à vontade acompanhando o seu “número” de algumas réplicas eróticas, destinadas a aquecer um pouco a atmosfera. E se há prazer de ambas as partes, então há também liberdade.

Mas este relaxamento deve ser restrito, porque não é nada conselhável dizer qualquer fabulação sensual que foi fabricada pelos hormones. Às vezes, até podem ser mais nocivas do que benéficas.

Então como fazer a diferença entre o permitido e o proibido a nível do acto íntimo com alguém a pagamento? Eis aqui algumas idéias orientativas que podiam ser uteis:

 

Isso sim...

1.-“Não consigo parar de te tocar!” Essa é a principal razão do encontro. Ou seja, tocar da maneira mais ousada possível (claro, não só para contemplar a criatura de longe ou para trocar teorias pessoais sobre a vida no outro mundo). Por isso, exteriorizar o seu estado emocional através das palavras completa perfeitamente o quadro.

2.-“Sabes tão bem!” Ela muito provavelmente já sabe que os homens gostam desta qualidade que tem. Caso contrário, a sua agenda não seria cheia de compromissos e urgências disperadas como uma crise biliar. Mas não faz mal dizê-lo em voz alta. Faz bem a nível mental.

3.-“És tão sexy!” Esta observação não vai impressioná-la muito, já que está habituada a receber constantemente este tipo de notífica sobre esta “culpa” adquirida geneticamente. Verbalizar o que é evidente vai, no entanto, confirmar a você que fez a escolha melhor e vai encorajar você a desempenhar tranquilamente, oferecendo pura satisfação de espectáculo nu para os seus olhos.

4.-“Adoro a tua boca/seios/traseiro!” A lista das adorações pode continuar com qualquer zona que considere fascinante, completada (como mais?) pelas acções específicas que implicam a “personagem” alugada. Mas atenção! Não se esqueça que esta “adoração” tem um prazo de validade que expira no momento em que sai pela porta.

5.-“Quero explorar cada centímetro do teu corpo!” Não foi por acaso que ela tomou banho, se depilou, passou cremes e perfumes (o ideal seria que você tivesse feito o mesmo que a “princesa” fez, pelo menos no que respeita o nível básico de cuidados pessoais). Esta observação vai dar rédea livre à sua imaginação e início a hora de amor selvagem, sem restrições e sem arrependimentos.

 

Isso não...

1.-“Que tal uma massagem?” Claro, esta proposta seria muito bem vinda se por massagem entender jogo indecente com os dedos (intrusivos), e não a clássica esfregação das omoplatas afim de reduzir a dor severa nas costas de uma avozinha.

2.-“Podes dormir, eu estou aqui para velar por ti!” Não é uma tragédia se o acto acabar rapidamente, antes que o tempo a sua disposição passe e ainda houver tempo para planejar uma segunda ronda. Em vez de pensar no sono é melhor deixar espaço a qualquer outras pequenas loucuras. Daquelas sexuais. As propostas do tipo: “deita-te que eu estou aqui a acariciar o teu cabelo e a olhar avidamente para ti” ou “quero ver-te comer aquele grande pedaço de pizza” são estranhas e demasiado... domésticas.

3.-“Onde estiveste toda a minha vida?” se for feita num contexto específico ao cigarro depois do sexo, esta pergunta faz algum sentido. Mas só isso! Caso contrário, a atmosfera pode tornar-se em desconforto pesado, perturbador e embaraçoso.

4.-“Acordar ao teu lado é melhor do que te ter!” (pensamento válido para os concupiscentes que querem transformar a experiência de uma hora numa noite inteira). Por ela mais vale tirar-lhe o dinheiro que ouvir você arengar frases sentimental-nojentas, mas se ela for resistente e ter a oportunidade de obter algo mais, vai fazer isso também. Precisamos que a maleabilidade e interesses dela não anulam o patético do seu comportamento (neste caso).

5.-“Quero te fazer algo delicioso para comer!” Com um convinte desses, a especialista chamada a domicílio que tem as algemas na bolsa junto aos preservativos e roupa interior transparente por baixo da minissaia, vai ficar atônita. Como é que deve reagir? E o que é que vai acontecer realmente? O amor vem antes ou depois da refeição? Você vai também oferecer uma escova de dentes para ela se refrescar ou tem qualquer fetiche com o hálito a salmão, batatas cozidas e ervilhas? Deverá arranjar sofismas dizendo que está de dieta? Ou...?

Cuidado, as gentilezas fazem bem, mas os extremos incomodam.

* * *

Mesmo que o comportamento adequado que teve com a linda senhorita, não lhe conceda uma redução ou qualificações e apreço, terá impacto positivo sobre a qualidade do encontro e a resposta aos pedidos de solicitações futuras.

fonte:www.eroticnote.com