A escolha dos filmes para adultos (para as mulheres)

A escolha dos filmes para adultos (para as mulheres)

Considerando a popularidade e o sistema „à producção rápida” em virtude do qual as obras-primas XXX são produzidas, se os extraterrestres viessem na Terra, deduziriam que depois da água, do ar, da comida e da paz entre os estados, a pornografia é um elemento absolutamente necessário para sustentar a vida no planeta.

As senhoras interessadas no contacto com os toques de génio desse domínio têm, portanto, várias possibildiades de escolha. O problema é ao lado de quem e como.

A arte erótica, na sua forma mais pura, pode ser admirada na companhia de uma amiga fiel, com base no princípio „entre as moças”, na solidão (no desejo de aprofundar a relação com a própria pessoa), ou ao lado de „alguém”, claro, pronto a nível emocional para aquilo que seguirá depois...

Embora não tenha sido oficialmente certificado, algumas pessoas dizem que o número dos filmes para adultos é maior do que os grãos de areia. A sua gama atinge uma variedade invejável, já que há materiais dedicados aos românticos incuráveis, com actores que têm de pronunciar (choque completo) palavras durante os primeiros 5-10 minutos do encontro e só depois passarem à acção acompanhada por onomatopeias; histórias excêntricas com protagonistas múltiplos ou elencos realmente estranhos, destinados àqueles que querem ultrapassar o limite da normalidade (pois é, às vezes muito chata), tudo isso tendo um denominador comum... no final, culminam em orgasmos quase impossíveis no mundo real.

Flertar com a ideia de assistir esse tipo de „adaptações” não deve assustar ninguém. Há tendências de voyeurismo a cada passo. Se você se encontrar na categoria das principiantes, respire profundamente e pense qual o tipo de criações com as quais gostaria de passar uma pequena parte da sua vida.

Queria ver a distribuição dos „direitos” e das „obrigações” numa orgia? Lembrar-se de algum ex-namorado e os seus desempenhos impecáveis? Esclarecer o mistério do mecanismo amoroso entre as lésbicas? Suspirar com nostalgia assistindo a um partido à moda antiga baseado em muitos beijos e abraços? Ou queria um coquetel de elementos loucos?

Bem, o ambiente online está à sua disposição com qualquer coisa. As empresas de cinema e televisão, também. Você pode sentar-se confortavelmente no sofá, com as pipocas numa mão e o vibrador na outra mão (mesmo que o uso simultâneo não seja a melhor opção), e depois, deixar-se levar pela imaginação...

A diversidade é abundante! Se quiser um pouco de romantismo também, não apenas penetração selvagem, dirija a sua atenção para os filmes com algum... „tema”. Não espere ver uma diretoria complexa, uma „epopeia” original com personagens que discutem problemas existenciais e fazem amor metafísico com o objectivo de descobrir o significado da vida. Vai encontrar, no máximo, uma intriga relativamente coerente, apresentada de uma maneira diferente do que em termos de um pénis imenso que perfura enfaticamente os orifícios disponíveis na decoração.

As producções com um diálogo mínimo, fio narrativo e uma estaca aparentemente distante daquela puramente carnal, parecem muitas vezes extremamente pouco convincentes, e nesse caso restam-lhe, para a análise, comentários e „divertimento”, aquelas clássicas.

Por outro lado, se você sentir necessidade de se familiarizar com o universo dos fetiches, assista as producções fora do comum, perfeitas para reformar o conceito de sexo. Erotismo duro, comportamentos estranhos (pelo menos para os pouco preparados), roupa em couro ou látex, algemas e outros vários „instrumentos”.

Quando a sua motivação implica um objectivo educativo, é bom saber que a pornografia distorce „um pouco” a verdade estilística. Além do vidro do monitor/ecrã, os machos têm recursos incrivelmente grandes, resistentes e irresistíveis, ao ponto que nenhuma mulher consegue abster-se e não quebrar a própria roupa. Por outro lado, as mulheres parecem dividir a própria existência entre salas de ginásio, salões de beleza e praias com um sol que tem a dose exacta um bronze perfeito. E os actos físicos... bem, estes duram mais do que a bateria de um telefone não usado!

Os „contos de fadas” licenciosos exageram de muitas maneiras e criam expectativas grandes demais. Estes têm mais um papel hedonista, não instrutivo. Curam feridas durante os períodos de miséria e solidão, fazem companhia quando fora há chuva, aquecem a atmosfera em vez dos preliminares e alimentam as tendências voyeuristas da humanidade, mas não devem substituir a educação (sexual) oferecida pelos livros, materiais documentados ou mesmo a experiência dos outros (se não a experiência pessoal).

Mas o grande benefício desses reside precisamente no „apoio” oferecido à abordagem relaxada e desinibida da própria vida íntima.