Tricofilia / Fetiche por cabelos

Tricofilia / Fetiche por cabelos

Aqueles que “sofrem” desta síndrome não precisam de roupa sexy, música romântica ou palavras sujas para entrar na atmosfera dos encontros “loucos”, mas apenas de um parceiro amante das presenças absolutamente “selvagens”, que tenha ignorado o cabelereiro ou o salão de beleza por muito tempo.

O fetiche define portanto a propensão para os cabelos, percebida estrictamente como incentivo perceptual. Os homens e as mulheres apaixonadas pelos cabelos rebeldes, ricos e brilhantes, podem sentir uma atracção particular também pelos pêlos corporais ou pubianos, neste caso tratando-se de pubefilia (pubephilia), ou seja uma forma derivada da tricofilia que determina irresistibilidade para com os pêlos das zonas “menos accessíveis”.

Apesar de a paixão não ser prejudicial ou danosa, pode ser difícil de perceber como será que uma coisa que incomoda ou até repugna alguns, pode conquistar outros e excitá-los a tal ponto que nem o mais forte afrodisíaco no mundo.

A concepção sobre a estética humana difere de pessoa a pessoa, como acontece com a reacção frente as características geralmente consideradas indesejáveis sobre o aspecto físico. E a pilosidade e as suas implicações distinctas têm um papel bem definido na visão daqueles que não poderiam aceitar uma careca ou uma pele lisa e macia.