Sadismo & Masoquismo

Sadismo & Masoquismo

A troca de poder que as relações BDSM procuram praticar, é alimentada por uma grande variedade de elementos, actividades e técnicas, transformadas às vezes em fetiches. A partir da restrição da liberdade de movimento através de algemas, cordas ou cadeias, aaté a imposição do controle no outro, através dos jogos de educação ou indução/ recepção da dor, os “aplicativos” da categoria “marota” podem gradualmente tornar-se indispensáveis para o universo próprio daqueles que se dirigem para esta ária menos comum do comportamento humano.

Alguns dos praticantes são dependentes das pancadas na bunda, outros nem imaginam não ter os olhos tapados, muitos fariam qualquer coisa para usar coleira ou ser tratados como “escravos” sem direitos ou privilégios... pois há várias formas de relação alternativa a nível de casal (e não só), e os limites de experimentação dependem inteiramente de cada indivíduo. Tudo é permitido desde que não viole as leis ou o consentimento dos envolvidos. 

Apesar de estas actividades parecerem brutais para aqueles que desconhecem este mundo, chocantes ou perigrosas, mais apropriadas a indivíduos “sanguinolentos”, com graves problemas emocionais e uma infância infeliz, estas são o refúgio de muitas pessoas perfeitamente adaptadas a este “território”, onde sentem vontade de experimentar algo diferente, porque afinal de contas, é este o objectivo dos fetiches BDSM: desencadear o gosto para a experimentação e oferecer todos os “instrumentos” (materiais, espirituais, contextuais) necessários para uma conduta autêntica e desinibida.